Arquivo | Política RSS feed for this section

Ocupa Salvador

15 jan

    A melhor e maior festa popular do mundo está chegando. E os transtornos em Salvador já se fazem presente desde outubro de 2011, onde tudo começa com a instalação de camarotes em locais públicos. Hoje, quero tratar especificamente da praça de Ondina, que foi inaugurada no último mês de setembro, com direito a comemorações e agradecimentos à prefeitura. O fato é que no mês seguinte, a nova praça já estava para ser fechada e o espaço deu lugar às obras de instalação de um camarote privado.

Diante desse cenário, cidadãos desrespeitados decidiram protestar contra esse verdadeiro absurdo e criaram o Ocupa Salvador, que merece todo o apoio e participação de todo e qualquer cidadão que estiver indignado com tal situação. Ontem (14/01) ocorreu mais um protesto no local das instalações do camarote na praça de Ondina, tudo muito bem organizado e mais do que justo.

Todos querem, antes de mais nada, curtir o carnaval. Porém, não é justo nem moral que se privatize algo que é público em prol de alguns poucos. Inclusive, o acesso principal à praia de Ondina foi fechado por causa das obras. Eu, como moradora dessa área, me sinto desrespeitada e tenho vergonha de uma situação como esta numa cidade que tem tudo para ser desenvolvida, que é Salvador. Falta respeito, vergonha e um pequena dose de bom senso.

MAIS!

Visite o site do Ocupa Salvador através do link a seguir: http://www.ocupasalvador.org

VÍDEO!

Vejam um pouco de como foi o protesto na praça de Ondina no dia 14/01. Exemplo de organização, politização e reconhecimento dos nossos direitos.

Fonte: Imagemhttp://www.ocupasalvador.org/fotos/ 

Violência, caos… BRASIL

30 nov

Na segunda-feira do dia 22/11, em Salvador – BA, quem estava por ali pela Av. Manoel Dias e Amaralina viu o caos que estava o trânsito, aproximadamente às 17h. Quem estava de cara com o protesto (como eu) que estava causando todo aquele engarrafamento entendeu os motivos. A situação estava exatamente como mostra a foto ao lado. Cartazes, gritos de protesto, objetos que representavam a causa a ser defendida. O motivo de tudo aquilo foi justo. Um menino de 10 anos de idade morreu por causa de uma bala perdida da Polícia Militar. Por outro viés, pode-se constatar que esse protesto em nome de uma causa mais que justa provocou um caos total.

Vivemos numa sociedade capitalista e somos diariamente usurpados pela nossa própria rotina, que está exposta à imprevistos, é claro. O que não é nada justo, é que sejam roubadas duas longas horas de várias pessoas, muitas delas com compromissos importantes. No meu caso, tinha uma apresentação de dança no mesmo dia e uma prova de matemática no outro. A apresentação eu perdi e se eu não tivesse levado meus materiais de matemática, teria perdido duas horas de estudo. Tenho certeza de que muitas pessoas perderam compromissos, aulas, reuniões, etc. Como disse um rapaz, que também estava à espera da liberação da passagem “Uns passando seus direitos por cima dos direitos dos outros.” É uma situação realmente contraditória e complicada.

Infelizmente, não tenho nenhuma solução a propor. Porém, como cidadã, apelo por ela, ou pelo menos para algo que amenize o caos que se encontra o Brasil com tanta violência e problemas de natureza política e social. Apelo por boas mudanças, pela paz. Só isso, nada mais.

O que ocorreu:

– As pessoas que estavam protestando colocaram fogo no meio da rua, impedindo a passagem de carros e até de motos. Logo em seguida, com cartazes e objetos (como um lençol e uma bermuda sujos de sangue), começaram a protestar contra o Governo e a PM.

– Carros da Polícia começaram a chegar e simultaneamente, os manifestantes começaram a vaiar e falar: “Polícia é pra ladrão”.

– Chega a impensa.

– Por um tempo muito longo, os policiais tentam uma negociação com os manifestantes. Por fim, conseguem.

– Chega o carro dos bombeiros, que tem dificuldades para passar.

– Antes de liberarem a passagem, os manifestantes rezam o pai-nosso.

– Por fim, liberam a passagem por volta das 19:30.

Política de Circo

19 set

“O que faz um deputado federal? Na realidade eu não sei. Mas vote em mim que eu te conto.”, quem falou isso em uma de suas propagandas eleitorais foi o candidato a Deputado Federal Francisco Everardo Oliveira Silva, mais conhecido como Tiririca, um comediante que está nada mais nada menos do que fazendo um papelão diante de algo que era para ser sério no Brasil, a política. Porém, não quero tratar única e exclusivamente desse indivíduo, mas da palhaçada em que se encontra a nossa política.  Como diz uma professora de História minha, você só conhece alguém de verdade se lhe der poder. Então, como vamos saber se um candidato irá cumprir com todas as promessas de um Brasil perfeito que ele diz durante as suas campanhas? E quando conhecermos, já será tarde, ele estará no poder e nós presos a este por 4 anos. Infelizmente, um discurso lindo não é suficiente. Aliás, é suficiente para persuadir pessoas que são conhecidas como analfabetas políticas. E infelizmente, o Brasil é preenchido pela maioria dessas pessoas. Ponto para os políticos. Nariz de palhaço para os eleitores. E viva o circo!

Vou votar pela primeira vez esse ano e me sinto envergonhada do caos em que o Brasil se encontra, embora eu ainda tenha uma visão um pouco limitada da política. Porém, essa visão limitada que eu tenho me permite que eu vote nulo, que é completamente diferente de votar branco, o que poucos sabem. Aprendi isso em casa, com os meus pais, não com a mídia ou outros meios. Até porque o que a política quer é um eleitor alienado, com uma visão bastante limitada das coisas. Procuro fugir disso, aliás, vou fugir disso no dia 3 de outubro. Não ignoro a política, pois acho que um indivíduo que a ignora é tão incompetente quanto um analfabeto político. Estou abrindo a cada dia a minha visão política e enxergando além de discursos bonitos ou até mesmo mesquinhos e hilários como o de Tiririca. Pelo menos, Tiririca está mostrando as suas (não)intenções, caso seja eleito. Muitos escondem, disfarçam e dissimulam, o que na minha opinião é bem pior.

Geralmente gosto de desejar sorte às pessoas. Mas hoje eu vou desejar um pouco de bom senso, o mínimo que seja. Para você que vota no dia 3 de outubro, tenha bom senso. Mas para você que ainda não vota, uma boa sorte mesmo.

* Veja um vídeo que explica o que é um analfabeto político:

Veja o vídeo da propaganda eleitoral de Tiririca: